Anticoncepcionais fazem Mulheres escolherem Homens errados

16 jun Anticoncepcionais fazem Mulheres escolherem Homens errados

Pílulas anticoncepcionais podem estragar a capacidade da mulher para “farejar” um parceiro compatível, segundo um novo estudo.

Embora vários fatores possam enviar informações às mulheres escolherem seus parceiros, incluindo grandes cérebros e músculos, o odor corporal pode ser fundamental na decisão final, dizem os pesquisadores. Isso porque pela fragrância de uma mulher ou de um homem, o corpo envia moléculas aromáticas que indicam a compatibilidade genética.

O complexo principal  (MHC), dos genes de histocompatibilidade estão envolvidos na resposta imune e outras funções, e os melhores amigos são aqueles que têm odores diferentes produzidos pelos gens do MHC em relação ao seu. Pois, as moléculas do aroma (de um homem) logo seriam agarradas pelas células de um indivíduo (no caso a mulher) e seriam fagocitadas e digeridas. Como recompensa haveria um atração maior por este paceiro, pois as células do oriundo bebê seriam muito melhor toleradas pela mãe durante a gestação.

O novo estudo revela, no entanto, que quando as mulheres tomam a tomar a pílula passam a preferir homens com correspondência de odores pelo MHC.

Genes do MHC despejam substâncias que contam ao corpo se uma célula é nativa ou invasora. Quando os indivíduos tem diferentes genes no MHC do companheiro, o sistema imunológico da sua prole pode reconhecer uma ampla gama de células estranhas, tornando-os mais aptos.

Estudos anteriores sugeriram que os casais com genes MHC diferentes ficam mais satisfeitos e mais propensos a serem fieis a um único parceiro. E o oposto também é verdadeiro com casais similares pelo MHC mostrando menos satisfação e mais olhares errantes.

“Não só: poderia MHC similares em casais levar a problemas de fertilidade”, disse o pesquisador Stewart Craig Roberts, um psicólogo evolucionista da Universidade de Newcastle, na Inglaterra, “mas isso poderia levar à quebra de relacionamentos em que as mulheres parar de usar o anticoncepcional Comprimido, como a percepção de odor desempenha um papel significativo na manutenção da atração para os parceiros”.

Aromas sexuais: Ferormônios

O estudo envolveu cerca de 100 mulheres, com idades entre 18 e 35 anos, que escolheram quais das seis amostras de odor corporal masculino elas prefeririam. Elas foram testadas no início do estudo, quando nenhuma das participantes havia tomado pílulas contraceptivas e três meses mais tarde, depois das 40 mulheres começarem a tomar a pílula.
Para as não-usuárias, os resultados não mostraram uma preferência significativa para odores MHC semelhantes ou diferentes. Quando as mulheres começaram a tomar o controle de natalidade, as suas preferências ao odor ficaram alteradas. Essas mulheres eram muito mais propensas a preferir odores MHC-similares em relação às demais.

“Os resultados mostraram que as preferências das mulheres que começaram a usar a pílula anticoncepcional deslocado para homens com odores geneticamente similares”, disse Roberts.

Estando grávida

Com base no trabalho por Claus Wedekind, da Universidade de Lausanne pesquisador que executada estudos semelhantes na década de 1990, Roberts sugere uma provável razão para o efeito da pílula sobre as preferências de odor de uma mulher. A pílula coloca o corpo de uma mulher em um estado hormonal grávida (a razão pela qual ela não ovula), e durante esse tempo não haveria nenhuma razão para procurar um companheiro.

“Quando a mulher está grávida, não há pressão de seleção, evolutivamente falando, para uma preferência por odores geneticamente diferentes”, disse Roberts. “E se houver qualquer pressão seria para os parentes, que seriam geneticamente mais similares, porque os parentes ajudariam àqueles indivíduos a cuidar do bebê.”

Então a pílula coloca o corpo de uma mulher em um estado pós-acasalamento, embora ela possa estar ainda no jogo.

“A pílula está em vigor espelhando uma mudança natural, mas em um momento inadequado”, Roberts disse LiveScience.

Os resultados estão detalhados na edição atual da revista Proceedings of the Royal Society B: Biological Sciences.

Referências:

http://www.livescience.com/2781-pill-women-pick-bad-mates.html

 

Sem Comentários

Deixe um Comentário