Compreender e gerir problemas de relacionamento

12 jun Compreender e gerir problemas de relacionamento

A maioria de nós quer encontrar um parceiro para compartilhar nossas vidas. 


Quando finalmente nos apaixonamos e nos comprometemos a uma relação que acreditamos que irá durar para “sempre”, ou será um mar de rosas, inevitavelmente as dificuldades de relacionamento surgem.

O que causa problemas de relacionamento?

Negligências do relacionamento

Pesquisas mostram que a base de um relacionamento feliz é a amizade. Simplificando, isso significa que você pode desfrutar da companhia uns dos outros, compartilhando valores, interesses, amigos e família. Esta amizade deve ser cultivada, pois se negligenciada inevitavelmente irá deteriorar. Isso significa que os casais precisam estar regularmente passando o tempo juntos, fazendo e falando sobre coisas que são importantes para cada um e fazer planos para o futuro. Isso parece óbvio, mas as pressões de trabalho e outras questões pessoais, as exigências da paternidade e da correria geral da vida significam que, muito facilmente adia-se o tempo necessário, para o casal ficar conectado.

Conflito

Ficar amigo(a) é mais difícil quando há um conflito permanente, o que deixa você se sentir com raiva, decepcionado(a), frustrado(a) ou ferido(a). É muito importante que este conflito seja tratado de uma maneira que não direcione seu parceiro fora ou deixe um acúmulo de ressentimento. Conflitos muitas vezes começam no início do relacionamento, e podem ser geridos nos estágios iniciais da relação, ou tornam-se um desafio. Cada um pensa que tudo estaria bem, se apenas o outro parceiro mudasse. Embora a mudança possa acontecer, somos menos propensos a considerar mudar se nós nos posicionarmos a ser mal compreendidos, mal interpretados ou atacados por aquilo que sentimos. 

A pesquisa mostra que quando o pedido de um para a mudança no outro se torna crítica é provável que o outro adote uma posição defensiva. Quando o conflito cresce ao longo do tempo, é susceptível pode haver a criação de bloqueios energéticos, de ambas as partes. Estes comportamentos podem ser mortais para o relacionamento. Por isso, é muito importante encontrar formas de gerir as questões que estão levando ao conflito.

A angústia que acompanha um argumento leva a um comportamento que muitas vezes traz à tona o pior em nós, e que certamente não é a nosso favor quando estamos lidando com o nosso parceiro para a vida. Podemos dizer ou fazer coisas que mais tarde nos arrependamos, e causamos danos a crescentes ao relacionamento. É importante literalmente meditar antes de enfrentar situações difíceis.

Má gestão de diferenças entre os parceiros

As diferenças entre os parceiros estarão sempre lá, como todos nós somos indivíduos com diferentes valores, prioridades e formas de lidar com as questões. Exemplos incluem atitudes para com o dinheiro, onde gostamos de passar férias, quanto tempo que passamos com a família e os amigos, quanto tempo que passamos juntos ou isoladamente, como podemos mostrar o nosso amor, a forma de disciplinar as crianças, onde nós mandamos nossos filhos para escola, como podemos conduzir o carro, como arrumos para manter a casa, quanto esforço vai para a compra de presentes e a lista continua. Nós, naturalmente, tendemos a ver que o nosso caminho é o caminho certo, e isso significa que o nosso parceiro está errado e ele é que deve mudar. No entanto, é mais sensato encontrar uma maneira de gerenciar as diferenças ao invés de tentar eliminá-las.

Cuidados

Temos a tendência de sermos teimos(as) em nossa determinação de ter o nosso caminho. Muitas vezes tentamos deixar a parceria saber o quão errado ele(a) está, e como que normalmente não funciona, nós então punimo-nos, removendo as coisas a partir da relação que nós valorizamos, por exemplo, um homem pode parar de discutir questões com sua parceira, ou uma mulher pode parar de mostrar interesse em sexo. Como falar e sexo são dois ingredientes importantes para se sentir perto de nossos parceiros não é de estranhar que ambos os parceiros acabam se sentindo solitários, desesperados e incompreendidos.

Perda da compaixão

Todos nós queremos que nossos pensamentos, sentimentos e comportamentos sejam entendidos pelo outro, e não julgados como sendo errados. Entendimento não significa concordar. Infelizmente, se os parceiros não procuram entender, a boa vontade pode desaparecer. Até que cada um sinta ao outro e se disponha a entendê-lo(a). Empatia e compaixão para com o outro é fundamental, ou o amor e carinho desaparecerão, dando lugar às fugas, vícios, maus hábitos etc.

Tempos de crise

 Os indivíduos agem de forma diferente a questões como a contenção de um emprego, a morte de um dos pais, infertilidade, aborto, deficiência de uma criança, fogo ou seca, e essas diferenças precisam ser entendidas. Se os casais podem apoiar e cuidar uns dos outros, e ficar juntos como uma equipe, trabalhando através de, então os problemas da vida podem fortalecer um relacionamento. 

Reconhecendo quando há problemas de relacionamento

Todos os relacionamentos enfrentam dificuldades, e a maioria são resolvidos ao longo do tempo. No entanto, quando os problemas tornam-se entrincheirados e parece sermos incapazes de resolvê-los, é importante procurar ajuda profissional. Infelizmente, a pesquisa mostra que o casal espera em média seis anos antes de procurar ajuda quando o problema é reconhecido, e apenas uma pequena percentagem procurar a ajuda profissional de que tanto necessitam.

Muitos dos conflitos que podem ser reconhecidos como reincidentes, ou intensos, ou peculiares podem ser corretamente tratados pela homeopatia.

Referências:http://www.psychology.org.au/publications/tip_sheets/relationship/ 

Sem Comentários

Deixe um Comentário